desafio de costura histórica, Dicas

Acessórios de cabeça da Idade Média: inspirações para o desafio de abril

Mais um mês começando e com ele mais um tema do Desafio de Costura Histórica. Chegou a vez dos acessórios de cabeça e eu separei a tradicional lista de inspirações do mês.

Quando falamos em chapéus, toucas, véus e outros acessórios utilizados na cabeça, a Idade Média traz uma profusão de opções. Da coroa do rei ao chapéu do camponês, não faltam exemplos de peças usadas tanto para fins práticos quanto decorativos. 

Obviamente é impossível falar de todos os acessórios de cabeça medievais, então eu separei alguns modelos para você se inspirar no seu projeto de abril. 

Para facilitar, separei entre acessórios femininos e masculinos. Vamos lá?!


Peças femininas

Touca de Santa Birgitta (St. Birgitta Cap)

Vou começar com um dos acessórios de cabeça mais práticos e versáteis para quem faz recriação de trajes do final da Idade Média: a touca de Santa Birgitta (St. Birgitta Cap).  

É uma touca de linho simples que leva este nome pois o achado arqueológico da peça é associado à Santa Bridget of Sweden, também conhecida como Birgitta de Vadstena (1303-1373). Sim, este exemplar relativamente bem conservado chegou até os dias de hoje, o que permite que tenhamos uma boa ideia da construção da peça.

Presente em várias imagens dos séculos 13 e 14, esse tipo de touca era composto por duas partes de tecido unidas por um bordado central. O capuz cobria o cabelo e era preso por uma faixa estreita que dava a volta na cabeça.

A touca de Santa Birgitta é perfeita para usar como base para prender véus e para um bad hair day. Eu tenho um modelo simples que fiz no ano passado e vou aproveitar o desafio de abril para fazer uma versão com os bordados da peça original. 

Tutoriais:
Embroidery: Saint Birgitta Stitch  –  Medieval Cap Part 1
Making a St. Birgitta Coif – Medieval Cap Part 2 
A St Birgitta’s Cap 
St. Birgitta’s cap

Capuz (hood)

O capuz (hood) talvez seja uma das peças mais presentes no nosso imaginário de vestuário medieval. E não é à toa, já que os capuzes eram de fato populares na Idade Média. 

Com uma enorme variação de estilos, os capuzes eram usados por diferentes classes sociais – o que diferenciava eram os ornamentos, corte, cor e qualidade do tecido.

No caso das mulheres, além dos modelos fechados, chamam a atenção ainda os capuzes com botões, e os modelos mais curtos e abertos do século 15.

Tutoriais:
How to Make a 14th Century Hood | The Medieval Hood | What was it, and how can it be made?  
How to Make a Short Medieval Hood! 
Manuscript Challenge: Pearled London Hood

Véus 

Ao longo da Idade Média, véus foram amplamente utilizados pelas mulheres – seja por questões religiosas e de decoro, ou como proteção da cabeça e dos cabelos. 

O uso ou não de véu obviamente variava de acordo com a região e o período – e no caso das representações visuais, com a cena que era retratada. O que significa que não, as mulheres não usavam véu o tempo todo. Mas a peça era extremamente importante no guarda roupa medieval. 

Não existem padrões de tamanho e formato dos véus medievais. Mas formas retangulares, ovais e de meio círculo são as mais certeiras. 

Se você não tem nenhum véu ainda, o formato retangular é a melhor aposta. Por ser uma opção que não desperdiça tecido, pode ser incorporado em trajes de diferentes classes sociais. Também pode ser usado como wimple – cobrindo o pescoço e o queixo.

Em sua grande maioria (mas nem sempre) brancos, os véus também podiam ser adornados com pérolas, bordados e bordas franzidas. 

Em relação ao tecido, os mais utilizados em véus da Idade Média eram o linho e a seda – de espessura e qualidade bem variada. 

Linhos mistos e cambraia de linho são boas opções para o seu véu. Você também pode usar opções sintéticas de crepe e musseline para imitar a seda, por exemplo – apenas tome cuidado para o tecido não ser duro demais e ficar com um caimento estranho.

Fillet

O fillet medieval é uma faixa usada pelas mulheres ao redor da cabeça – seja com véus e barbettes ou diretamente sobre os cabelos. 

As referências visuais da Idade Média mostram uma variedade de estilos e espessuras ao longo dos séculos.

O fillet podia ser feito por meio da técnica de tablet weaving, ou com tecido mesmo. 

No caso das peças de tecido, elas variavam desde modelos mais simples até fillets ornamentados com pérolas, pedras preciosas e bordados.

Um modelo bem marcante é o do fillet de tecido branco franzido na parte de cima. Usada acompanhada de um barbette, a peça pode ser vista em manuscritos como o Codex Manesse do início do século 14.

Fillets são perfeitos para aproveitar aqueles retalhos que você tem em casa. E neste post eu trago um tutorial completo de como fazer um modelo de tecido. 

Barbette

E já que eu mencionei o barbette, vamos lá… Ele é uma faixa de linho reta, passada sob o queixo e presa no topo da cabeça. O barbette era usado por mulheres acompanhado de uma rede de cabelo ou de um fillet e pode ser uma opção para fazer uma dobradinha com o fillet. 

Bycocket

Pontudo e geralmente adornado com penas, o bycocket é um tipo de chapéu medieval que vive no nosso imaginário muito associado à figura de Robin Hood.

O “chapéu de bico” numa tradução literal do seu nome francês (chapeau à bec) foi popular ao longo do século 14 em toda a Europa Ocidental e continuou em uso em regiões como os Países Baixos nos séculos seguintes.

Embora mais comum entre os homens, imagens medievais também mostram o chapéu de bico sendo utilizado por mulheres em algumas situações específicas, como cenas de caça, falcoaria, viagens e peregrinações. No caso das mulheres, a peça era usada sobre um véu ou diretamente sobre as tranças do cabelo.

Tutorial:
A 14th Century Cap of Maintenance (Bycocket Hat)

Hennin

Quer liberar seu lado princesa (ou vilã) de contos de fadas? O século 15 oferece uma miríade de opções de acessórios de cabeça, entre eles os hennins.

Alto e em formato de cone, o hennin é um chapéu feito de material rígido ou tecido engomado e coberto com um tecido rico e decorado com fios de ouro ou prata, pérolas e outras pedrarias. Existiam muitas variações de hennin – com um único cone, outros com dois (alô chifres da Malévola!), e versões com três. 

Entre os diferentes tipos de hennin, podemos destacar:

  • Steeple hennin: modelo bem pontudo, é um clássico do imaginário medieval, embora tenha sido usado principalmente na região da França por um período relativamente curto de tempo e com trajes muito específicos. 
  • Escoffin ou heart shaped hennin: alto e em formato de coração possuía um rolo acolchoado no topo, geralmente forrado de veludo. 
  • Butterfly hennin: estilo da segunda metade do século 15 tem ainda mais decorações e possui suportes de forma que o véu assuma o formato de asas de borboleta.

Tutoriais:
Making a Medieval Escoffin / Heart Shaped Headpiece – Angela Clayton’s Costumery & Creations
Making a Horned Headdress from Pink Brocade – Angela Clayton’s Costumery & Creations


Peças masculinas

Coifa

A coifa é uma touca justa, geralmente de linho, com um cordão amarrado embaixo do queixo. Amplamente usada no século 13, geralmente sob um chapéu ou capuz.

Com a armadura, a peça também era usada para proteger a cabeça do atrito com o elmo ou com a touca de cota de malha. 

A coifa medieval de tecido era utilizada ainda por bebês e crianças pequenas. 

É um projeto bem simples, que demanda pouco tecido, e que é bem versátil para compor um traje medieval.

Tutoriais:
Simple medieval Coif tutorial
DIY Medieval Arming Cap/ Biggins

Hood (capuz)

Os capuzes eram ainda mais comuns entre os homens durante a Idade Média. Geralmente feitos de lã, serviam para proteger o rosto do frio e das intempéries e também tinham função decorativa. 

Os capuzes possuem uma grande variação de estilos, desde modelos mais simples até peças mais elaboradas.

Tutoriais:
How to Sew a Medieval Men’s Hood! (Last piece of the Carpenter Outfit!)
10 ways to wear your hood

Chaperon

Pegue seu hood, coloque a abertura do rosto do capuz na cabeça, enrole a peça deixando a borda pendendo de um dos lados enquanto o liripipe cai do outro. E pronto. Você tem um chaperon!

Então que tal aproveitar o desafio de abril para fazer essa peça dois em um? 

Bycocket

Já falei sobre ele na parte das peças femininas, mas retomo aqui. 

O bycocket é um chapéu surgido no início do século 14 que era utilizado especialmente em cavalgadas e atividades de falcoaria. Possuía uma aba arrebitada que se projetava para frente formando uma ponta. Era, em muitos casos, ornamentado com bordados, penas e broches.

Chapéu de palha

Se o seu recorte histórico é de um camponês, um chapéu de palha é uma ótima opção de projeto para abril. A peça era utilizada para proteger do sol e é amplamente retratada em imagens de trabalhadores do campo.

Participe do desafio de abril e faça seu acessório de cabeça medieval!

Ainda está com dúvidas sobre o desafio desse mês? Não hesite em entrar em contato comigo aqui pelos comentários do blog, ou pelas redes sociais da Merlim Crafts. Eu terei o maior prazer em te ajudar! 

E na hora de postar o seu projeto não esqueça de usar as hashtags #DCHBR2021 e #DCH2021ABRIL

Veja todos os temas do Desafio de Costura Histórica 2021
E confira também os projetos dos desafios de janeiro e de fevereiro.

Referências:
[Livro] The Medieval Tailor’s Assistant – Sarah Thursfield
[Livro] Medieval Garments Reconstructed: Norse Clothing Patterns – Lilli Fransen, Anna Nørgaard e Else Østergård
[Livro] Medieval Clothing and Textiles 4 – Robin Netherton
[Livro] História do Vestuário – Carl Köhler

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s