desafio de costura histórica

Inspirações para o desafio de agosto: parte de cima

Seria agosto o mês de fazer “brusinhas” no Desafio de Costura Histórica? Acho que sim.

O tema do mês é “Parte de cima”. Ou seja, é hora de vestir a parte de cima do corpo. Pode ser uma peça que faça parte de um conjunto (um corpete, por exemplo) ou uma peça única (uma camisa, digamos). O importante é vestir o tronco.

No caso das roupas medievais, essa divisão entre partes de cima e de baixo do corpo acaba ficando mais restrita aos trajes masculinos. Isso porque as roupas das mulheres ao longo de quase toda a Idade média eram compostas de vestidos, chemises, surcotes e outras peças que iam da parte de cima até a parte de baixo, sem uma divisão na altura da cintura ou dos quadris.

É claro que como o objetivo do desafio do mês é “vestir o tronco”, você também pode fazer vestidos e outras peças ‘completas’. Mas nesse post eu vou focar em roupas medievais específicas da parte de cima do corpo e que cumpriam o mesmo papel de uma camisa ou blusa, por exemplo.

Vamos às inspirações?!

Túnica

Para começar, uma peça bem básica e essencial para compor um traje medieval: a túnica. Chamada de shirt ou mesmo de chemise, a túnica básica medieval era uma usada como primeira camada de tecido e, por isso, era geralmente feita de linho.

Feita a partir de peças retangulares de tecido, a peça está presente na indumentária masculina ao longo de toda a Idade Média, e passou por poucas variações ao longo do período. As principais diferenças estão no tipo de gola e no comprimento da túnica.

Da mesma forma que a chemise feminina é base que acompanha os diferentes tipos de vestidos, a túnica masculina era usada por todos os homens, inclusive embaixo de qualquer uma das outras peças que estão listadas neste post.

Veja alguns tutoriais:

Cotehardie

Sobreveste justa usada por homens e mulheres a partir de meados do século 14. Era feita sob medida para caber no tronco e nos braços, geralmente com uma fileira de botões na frente e também em cada manga – justa do cotovelo ao pulso.

Doublet, pourpoint ou gambeson

Gibão/jaqueta justa masculina, que cobria o corpo do pescoço até o quadril ou até as coxas. Era usado como peça de proteção, geralmente sob a armadura. Feita de pelo menos duas camadas de tecido, o doublet tinha revestimento acolchoado entre as camadas para garantir reforço e proteção.

Gardecorp

Vestimenta ampla, semelhante a uma capa, com uma abertura no ponto em que a manga se junta ao corpo. Vistos especialmente em imagens do final do século 13, os gardecorps variavam no comprimento e amplitude das mangas, e também no comprimento da peça.

Tabard ou tabardo

Tipo de túnica aberta nas laterais – sem mangas ou com mangas curtas – e presa por um cinto. O tabardo era comumente utilizado por cavaleiros medievais sobre as suas armaduras e trazia, em muitos casos, elementos da heráldica.

Participe do #DCHBR2021

Ainda está com dúvidas sobre o desafio desse mês? Não hesite em entrar em contato comigo aqui pelos comentários do blog, ou pelas redes sociais da Merlim Crafts. Eu terei o maior prazer em te ajudar! 

E na hora de postar o seu projeto não esqueça de usar as hashtags #DCHBR2021 e #DCH2021agosto

Veja todos os temas do Desafio de Costura Histórica 2021

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s